Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

"Who in the world am I? Ah, that's the great puzzle!"

Never Let me Go | Kazuo Ishiguro

Never Let Me Go conta a história de Kath, Tommy e Ruth enquanto estes crescem num colégio interno em Inglaterra. A narrativa é contada em analepse na perspectiva de Kath vários anos após a sua infância e adolescência.

Este livro é classificado como ficção científica, porém durante grande parte da narrativa nada me pareceu muito diferente face ao "mundo real". O mistério acerca da vida destas crianças desenvolve-se lentamente. Não existem referências a pais ou qualquer tipo de parentes, os professores estão sempre a relembrar os alunos de que estes são especiais e a sua "arte (isto é: os desenhos que eles fazem) são muito importantes.

Não sei bem o que esperava deste livro, mas com certeza não era isto. Aquilo que eu estava à espera que acontecesse desde o início, apenas aconteceu para o fim da história. Uma das personagens irritou-me imenso e foi difícil aturá-la, mas como tudo, acabei por entender o seu ponto de vista.

Este livro não é perfeito (para mim, obviamente), daí não lhe ter atribuído as cinco estrelas. Não gostei da forma como muito do vocabulário era repetitivo (palavras como daft estavam constantemente a aparecer) e existia uma estrutura que se tornava aborrecida, pois frequentemente, ao relatar os episódios dos seus tempos de escola Kath explica como ao início aquele evento não pareceu importante, mas depois acabou por se revelar fundamental nas relações que tinha com os seus amigos. Esta estrutura do parecia-irrelevante-e-afinal-não-era foi usada até à exaustão.

Não quer isto dizer que não tenha gostado muito deste livro. Adorei a forma como o autor foi casualmente deixando pistas sobre a identidade dos personagens e a forma como os seus destinos estavam traçados. Kath, Tommy e Ruth pareceram-me muito reais e palpáveis, muito humanos.
E claro, como chorana que sou, tenho de pôr o aviso aqui para os que são como eu: o final partiu-me o coração. Da melhor maneira possível.

Classificação final: 4 estrelas

Livros de 2016 & Objectivos para 2017

Ora bem, hoje vamos falar sobre o que li no ano que passou e alguns dos meus objectivos para 2017. Como muitos sabem eu costumo colocar um desafio anualmente no Goodreads. À semelhança do ano anterior, este ano estabeleci uma meta de 10 livros como desafio. A verdade é que sempre que coloco menos livros, acabo por me sentir menos pressionada e leio mais, por isso quero continuar com este número.

 

No início de 2016 fiz uma lista de 10 livros que queria mesmo ler nesse ano. Esta lista servia simplesmente para me lembrar das leituras que queria que tivessem prioridade sobre as outras. Consegui ler 7 destes 10 livros.

 

booksy books

 

Desta lista não li: Lord of the Flies de William Golding, A Crónica do Pássaro de Corda de Haruki Murakami e não terminei de ler O Livro do Desassossego de Fernando Pessoa. Assim sendo estes livros passaram para a minha lista deste ano, sendo que, acrescentei outros sete para perfazer os 10 livros que quero mesmo ler em 2017

top 2017.jpg

Esta é então a minha lista para 2017. Quero essencialmente ler mais clássicos, estrear-me (finalmente) em Jane Austen e voltar a Saramago. 

E vocês, o que vão ler este ano? :)

Tag Livresca | By the Book

E aqui estou para responder a uma tag literária que me foi passada pela querida the book keeper. (Se ainda não conhecem o blog dela cooorram a visitar, é super giro.) Vamos às respostas!

 

1. Qual o livro que está na tua mesa de cabeceira?

De momento ainda não comecei nenhum livro novo, vou antes retomar o Livro do Desassossego que deixei em stand-by durante uns meses e de que estou a gostar imenso.

 

Resultado de imagem para livro do desassossego

 

2. Qual foi o último livro realmente bom que leste?

Felizmente 2016 foi um ano de muito boas leituras! Diria que o último livro que li e gostei imenso foi o The Lady and the Unicorn da Tracy Chevalier. Adoro a escrita da autora que já me tinha conquistado com o Girl with the Pearl Earring.

 

7736065

 

3. Se pudesses encontrar qualquer escritor, vivo ou morto, quem seria? O que lhe perguntarias?

É inevitável não referir o meu querido Saramago. Falaríamos de política, da vida e da morte. E eu perguntar-lhe-ia de onde surgiu tamanha inspiração para criar personagens tão memoráveis.

 

4. Qual livro ficaríamos surpresos de encontrar na tua estante?

Talvez ficassem surpreendidos em ver livros de não-ficção como A Física do Impossível do Michio Kaku. A verdade é que raramente leio não-ficção, mas gosto muito de livros sobre História e Ciência. Outro que tenho na minha estante e tenciono ler este ano é O Declínio da Idade Média.

 

zoom

 

5. Como organizas a tua biblioteca pessoal?

Humm basicamente o único critério é: colocar os livros onde eles couberem. Chegou a um ponto em que a minha estante do quarto está mesmo a transbordar de livros, por isso tive de optar pelo método "tetris livresco" que consiste em empilhar livros onde conseguirmos arranjar espaço. Ainda assim, deixo os meus clássicos todos juntos e os autores portugueses também. 

 

6. Que livro já "deverias ter lido"?

Tantoooos. Uma das minhas maiores vergonhas é nunca ter lido Jane Austen. (Vou colmatar este erro em 2017 que agora já tenho o Sense and Sensibility na minha estante). Das irmãs Brontë quero ler Jane Eyre há séculos!

 

 

7. Um livro que te desapontou e que é sobrevalorizado / Um livro que todos dizem ser a tua cara, mas que não gostaste / Último livro abandonado

Este livro desapontou-me porque as expectativas que tinha para este clássico eram altíssimas. Toda a gente dizia que era espectacular e isto e aquilo. Gostei, principalmente do fim e acabei por lhe dar 3 estrelas. Sinceramente, acho que é um livro importante de se ler, só não foi aquela maravilha de que eu estava à espera.

 

 

8. Que tipo de histórias chamam a tua atenção? De que tipo de histórias manténs a distância?

Para ser sincera não tenho propriamente um género de livros de que goste acima de todos os outros. Gosto de vários tipos de histórias. Desde os romances lamechas às distopias políticas passando pelos dramas familiares dos clássicos da literatura. Já percebi que gosto de personagens complexas e de uma boa dose de sarcasmo. Não me atraem muito livros de terror.

 

9. Se pudesses indicar um livro para o Presidente, qual seria?

Esta pergunta é qualquer coisa. Talvez indicasse o Cemitério de Pianos do José Luís Peixoto por ser, de uma forma que não consigo explicar, uma história tão nossa, tão portuguesa.

 

 

10. Que livros pretendes ler em breve?

Para já o desafio é terminar o Livro do Desassossego do querido Pessoa. Depois tenciono aventurar-me pelo calhamaço que é o Jonathan Strange & o Sr. Norrell da Susanna Clarke.

 

Passo a tag à Just, Ritalostdreams, Cláudia e todos aqueles que queiram responder!

ABOUT ME

Sonhadora a tempo inteiro & blogger em part-time. Adora livros, antiguidades e flores na cabeça. Escreve textos pseudo-românticos quando está para aí virada. É fã de dançar ballet na cozinha e cantar no chuveiro. O seu pé direito insiste em ser torto e não há como o emendar. Nunca diz que não a uma chávena de chá.
(+ sobre mim)

DAILY LOVE

Read the Printed Word!

2017 Reading Challenge

Dizzy Lizzie has read 0 books toward her goal of 10 books.
hide

PARTNERS

WOOK - www.wook.pt

SPREAD THE LOVE!

SweetStuff