Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

"Who in the world am I? Ah, that's the great puzzle!"

Diário de uma Bailarina #6 | Livros sobre Ballet

Sendo eu uma amante de livros, não seria de espantar que, após alguns meses a praticar ballet, a minha vontade de agarrar em literatura sobre o assunto surgisse certo? Hoje mostro-vos alguns livros sobre ballet que tenho debaixo de olho. 
Books about Ballet
 

I. Apollo's Angels: Tal como o subtítulo sugere esta obra conta a história do ballet desde os seus primórdios até à actualidade. Fiquei com muita curiosidade, dado que sei muito pouco sobre as origens desta forma de arte.

 

II. Taking Flight: A única biografia da minha lista conta a história de uma menina orfã que, contra todas as probabilidades, se tornou uma bailarina de renome internacional. Apesar de, normalmente, não gostar muito de biografias, este parece-me ser um exemplo inspirador.

 

III. The Ballet Companion: Este é um livro técnico que explica tudo o que há para saber sobre ballet. Uma espécie de Bíblia sobre o assunto, estão a ver? Ideal para uma débutante, como eu, que ainda tem muitas dúvidas sobre passos e posições.

 

IV. Bolshoi Confidential:Outro livro histórico. Este foca-se especificamente na história do emblemático teatro Bolshoi na Rússia.

 

V. Bunheads: Passando aos livros de ficação temos um YA que promete ser muito fofinho e pouco aborrecido. Já há algum tempo que tenho curiosidade em lê-lo.

 

VI. Dancing Through Fire: Este livro combina duas coisas que eu adoro: Ballet e quadros do Degas. Para quem não sabe, Degas  foi um importante impressionista, muito conhecido pela sua obsessão em pintar bailarinas.

 

*Para saberem onde comprar estes livros, basta clicarem no link de cada título*

Pygmalion | George Bernard Shaw

Ao contrário da maioria das pessoas que fazem review deste livro, eu nunca vi My Fair Lady. Vi sim uma adaptação cinematográfica anterior com título homónimo ao da peça. Como tal, já sabia de antemão o enredo principal. Ainda assim, este livro conseguiu ser uma excelente surpresa. 

pygmalion.jpg

*a foto não é minha*

Este clássico conta-nos a história de como uma "poor flower girl", Eliza Doolittle, é treinada por um professor de fonética para se tornar uma "lady." A transformação de Eliza constitui uma poderosa sátira à estratificação da sociedade inglesa e ao taboo da classse: é suposto fingirmos que ela não existe, mas está sempre lá. A figura de Mr. Higgings (o professor de fonética) revela-nos um homem completa e absolutamente "politicamente incorrecto." Tanto em relação à maneira como trata Eliza Doolittle não como uma mulher, mas como uma mera experiência, como às suas próprias maneiras: ele pode ser um gentleman mas detesta "small talk".

No geral, diverti-me imenso com esta peça e fiquei com vontade de vê-la no teatro.

 

Classificação final: 4 estrelas

Never Let me Go | Kazuo Ishiguro

Never Let Me Go conta a história de Kath, Tommy e Ruth enquanto estes crescem num colégio interno em Inglaterra. A narrativa é contada em analepse na perspectiva de Kath vários anos após a sua infância e adolescência.

Este livro é classificado como ficção científica, porém durante grande parte da narrativa nada me pareceu muito diferente face ao "mundo real". O mistério acerca da vida destas crianças desenvolve-se lentamente. Não existem referências a pais ou qualquer tipo de parentes, os professores estão sempre a relembrar os alunos de que estes são especiais e a sua "arte (isto é: os desenhos que eles fazem) são muito importantes.

Não sei bem o que esperava deste livro, mas com certeza não era isto. Aquilo que eu estava à espera que acontecesse desde o início, apenas aconteceu para o fim da história. Uma das personagens irritou-me imenso e foi difícil aturá-la, mas como tudo, acabei por entender o seu ponto de vista.

Este livro não é perfeito (para mim, obviamente), daí não lhe ter atribuído as cinco estrelas. Não gostei da forma como muito do vocabulário era repetitivo (palavras como daft estavam constantemente a aparecer) e existia uma estrutura que se tornava aborrecida, pois frequentemente, ao relatar os episódios dos seus tempos de escola Kath explica como ao início aquele evento não pareceu importante, mas depois acabou por se revelar fundamental nas relações que tinha com os seus amigos. Esta estrutura do parecia-irrelevante-e-afinal-não-era foi usada até à exaustão.

Não quer isto dizer que não tenha gostado muito deste livro. Adorei a forma como o autor foi casualmente deixando pistas sobre a identidade dos personagens e a forma como os seus destinos estavam traçados. Kath, Tommy e Ruth pareceram-me muito reais e palpáveis, muito humanos.
E claro, como chorana que sou, tenho de pôr o aviso aqui para os que são como eu: o final partiu-me o coração. Da melhor maneira possível.

Classificação final: 4 estrelas

ABOUT ME

Sonhadora a tempo inteiro & blogger em part-time. Adora livros, antiguidades e flores na cabeça. Escreve textos pseudo-românticos quando está para aí virada. É fã de dançar ballet na cozinha e cantar no chuveiro. O seu pé direito insiste em ser torto e não há como o emendar. Nunca diz que não a uma chávena de chá.
(+ sobre mim)

DAILY LOVE

Read the Printed Word!

2017 Reading Challenge

Dizzy Lizzie has read 0 books toward her goal of 10 books.
hide

PARTNERS

WOOK - www.wook.pt

SPREAD THE LOVE!

SweetStuff