Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

"Who in the world am I? Ah, that's the great puzzle!"

Alice's Adventures Underground | Lewis Carroll

Hoje trago-vos uma opinião sobre o manuscrito original que, mais tarde, deu origem à história que conhecemos como Alice no País das Maravilhas. É um livro interessante para quem é fã da Alice, mas para aqueles que nunca leram o livro, não sei se recomendaria Alice's Adventures Underground.

 

Foto retirada daqui.

Basicamente esta é a mesma história, mas numa versão mais curta, sem várias das personagens que mais tarde figuram no texto publicado, tais como o Chapeleiro Louco, a Lebre de Março, o Gato de Cheshire, etc. A edição que possuo tem uma introdução que explica logo à partida as personagens que não figuram na história, por isso este aspecto não foi, para mim, uma surpresa. 

Gostei da introdução que está bastante completa e explica ao leitor o processo de publicação da obra, a razão do seu sucesso instantâneo e a transição entre este manuscrito e o trabalho final. As ilustrações de Santore são belíssimas, mantendo o traço clássico da ilustração a preto e branco detalhada de Tenniel.

Apesar de gostar mais da obra final, achei esta leitura muito interessante, pois estava constantemente a comparar os dois livros na minha cabeça. "You are Old Father William", o meu poema preferido da obra, já existia no manuscrito original, o que me deixou muito muito feliz ao lê-lo.

Classificação final: 4 estrelas

Novo na estante | Little Women

Recebi este menino lindo em Junho e não podia deixar de vos mostrar algumas fotografias.

mulherzinhas.JPG

*Quando o teu livro combina com o teu outfit ;)*

mulherzinhas ii.JPG

O livro faz parte da colecção "Puffin in Bloom". Os outros títulos são Heidi, Anne of Green Gables e A Little Princess.

endpapers.JPG

Antes da primeira e depois da última página vem com estas ilustrações que estão relacionadas com a história.

in bloom.JPG

Estou agora a lê-lo e estou a gostar bastante. Outra coisa que me agradou muito nesta colecção é que todos os livros são escritos por mulheres e têm temas de "coming-of-age", tratam, de alguma forma da mudança e do crescimento das personagens principais que, em todas as obras da colecção, são personagens femininas.

Já alguém aqui leu Mulherzinhas?

How Many Miles to Babylon? | Jennifer Johnston

Hoje trago-vos uma review de um livro, escrito por uma mulher, que é de leitura obrigatória na Irlanda.

A foto é retirada daqui.

Um pequeno livro que nos conta a história da 1ª Guerra Mundial vista essencialmente pelo lado irlandês. Ao contrário do que seria esperado não se foca muito nas rivalidades Reino Unido VS Irlanda, mas sim na vida de dois rapazes: Alec e Jerry, ambos irlandeses, mas muito diferentes entre si.

O livro é contado na primeira pessoa por Alec e foi, para mim, uma leitura dura, principalmente no fim. Aconselho terem conhecimentos básicos sobre a história da Irlanda (quem foi Parnell, Pearse, etc). Porém não é de todo essencial para a compreensão geral da história.

Gostei muito da forma como a amizade entre os dois foi relatada. Deu para entender as diferenças que vão separando aos poucos estes dois amigos, culminando num fim que me fez arrepiar. Recomendo também para qualquer um que queira ler um relato detalhado sobre a 1ª Guerra Mundial e as marcas que uma guerra deixam num jovem rapaz.

 

Classificação final: 4 estrelas

30 Day Book Challenge #25 | A character who you can relate to the most

Emma do One Day: esta mulher sou eu pá! Não, a sério, identifiquei-me tanto com ela e, escusado será dizer que adoro este livro.

 

Franny do Franny and Zooey: Quando li este livro detestei a Franny. Achei-a super chata e irritante. No entanto, meses após o ter lido consegui finalmente compreendê-la e identifiquei-me com ela a um nível quase espiritual. Estava numa fase menos boa da minha vida e nunca a frase que deixo abaixo me fez mais sentido.

 

 
“I'm sick of not having the courage to be an absolute nobody.”
― J.D. Salinger, Franny and Zooey
 
“Sometimes, when it’s going badly, she wonders if what she believes to be a love of the written word is really just a fetish for stationery. The true writer, the born writer, will scribble words on scraps of litter, the back of a bus tickets, on the wall of a cell. Emma is lost on anything less than 120gsm.”
― David Nicholls, One Day

ABOUT ME

Sonhadora a tempo inteiro & blogger em part-time. Adora livros, antiguidades e flores na cabeça. Escreve textos pseudo-românticos quando está para aí virada. É fã de dançar ballet na cozinha e cantar no chuveiro. O seu pé direito insiste em ser torto e não há como o emendar. Nunca diz que não a uma chávena de chá.
(+ sobre mim)

DAILY LOVE

Read the Printed Word!

2017 Reading Challenge

Dizzy Lizzie has read 0 books toward her goal of 10 books.
hide

PARTNERS

WOOK - www.wook.pt

SPREAD THE LOVE!

SweetStuff