Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

Neste blog fala-se sobre livros, viagens, ballet e muito mais.

Qui | 30.11.17

3 Filmes para quem gosta de escrever

Toda a gente sabe que os escritores não são pessoas normais. São complicados, demasiado emotivos ou pouco afáveis, consideravelmente observadores e bisbilhoteiros quanto baste. Se, tal como eu, gostam de escrever, então acho que vão adorar as recomendações de filmes que tenho para vocês. 

 

3 filmes para quem gosta de escrever.png

 

1. To Walk Invisible _ As Irmãs Brontë.png

O primeiro filme que recomendo foi, na verdade, o que inspirou a ideia por detrás deste post e é o To Walk Invisible. Neste filme acompanhamos a vida das irmãs Brontë: Anne, Emily e Charlotte e do irmão delas, Branwell. Ficamos a conhecer o árduo processo por detrás da publicação, o carácter peculiar de cada membro da família e a forma como estas irmãs se apoiaram mutuamente para conseguirem chegar ao sucesso. Aconselho tanto a quem já leu os romances das irmãs como a quem nunca chegou a experimentar. A caracterização das roupas e paisagens da época é maravilhosa.

 

 

2. Editor de Génios.png

Passando ao mais recente desta lista, Editor de Génios (ou Genius no original) é um filme de 2016 que conta a história do editor Marx Perkins que descobriu autores como F. Scott Fitzgerald e Ernest Hemingway. No entanto, a vida de Perkins altera-se profundamente quando conhece o escritor Thomas Wolfe. Este filme é incrível, pois, não só nos mostra o trabalho por detrás da edição, como também revela o carácter de um dos escritores mais peculiares da história da literatura americana.

 

post genius.jpg

stranger than fiction_image.png

A minha última recomendação é um filme que já tens uns anitos e muitos se calhar já viram, mas não queria deixar de mencionar: Contado ninguém acredita. A premissa surrealista deste filme é simples, mas resulta numa comédia brilhante. Um dia, ao levantar-se de manhã, Harold Crick apercebe-se que não tem controlo sobre as suas acções, pois alguém está a narrar a sua vida. Ele apercebe-se que é, literalmente, uma personagem de um livro.

 

stranger than fictiiiion.jpg

 

Gostaram das recomendações? Que filmes recomendariam para quem gosta de escrever?

Seg | 27.11.17

As minhas edições de Alice | capa dura

Hoje termino de vos mostrar a minha modesta colecção de "Alices". Preparem-se para ver as edições em capa dura!

colecção de alice_1.png

edições em capa dura.png

underground_1.png

underground_2.png

underground_3.png

underground_4.png

ISBN:9781604335729

Esta é uma edição do manuscrito orginal escrito por Carroll intitulado Alice's Adventures Underground. É diferente da obra que veio a ser publicada, pois muitas das personagens como o Chapeleiro Louco e o Gato de Cheshire ainda não constavam no manuscrito. As ilustrações são de Charles Santore e inclui ainda uma entrevista a este ilustrador e uma introdução à obra. 

macmillan_1.png

macmillan_2.png

macmillan_4.png

macmillan_3.png

macmillan_5.png

ISBN: 9781909621589

Juro que tentei colocar poucas fotos deste livro, mas foi difícil. Esta edição é uma das minhas preferidas e faz parte da Macmillan Collector's Library. Possui as duas histórias, uma introdução à obra e também as ilustrações originais de Tenniel. No entanto, em vez de estarem a preto e branco, as ilustrações são coloridas. Gosto muito dos detalhes desta edição como as extremidades a dourado e o marcador de tecido. Sem a sobrecapa o livro é azul bebé com o título a dourado, como podem ver na última foto.

barnes and noble_1.png

barnes and noble_2.png

barnes and noble_3.png

 ISBN: 9781435142886

Esta edição já apareceu algumas vezes aqui no blog. É da colecção Leatherbound da Barnes and Noble e foi uma prenda de Natal do ano passado. Possui as duas histórias, assim como as ilustrações originais de Tenniel. As fotografias não lhe fazem justiça porque ao vivo, este livro, é ainda mais lindo.

alice de a a z_1.png

alice de a a z_2.png

A última edição que vos tenho a mostrar é um audiolivro da primeira história: As Aventuras de Alice no País das Maravilhas lida por Mafalda Leite. Para além dos cds, esta edição contém um pequeno livrinho intitulado Alice de A a Z onde são relatados factos acerca do universo de Alice por ordem alfabética. 

 

Gostaram das minhas edições de Alice? Podem ver a primeira parte aqui

Ter | 21.11.17

Diário de uma Bailarina #11 | O dia em que assisti a um bailado

Foi em Dezembro do ano passado que fui ver um bailado pela primeira vez. Na altura prometi que vos contava tudo e a verdade é que fui adiando e, só hoje, quase um ano depois é que venho relatar a experiência.

 

O primeiro bailado que vi foi La Bayadère numa produção da Companhia Nacional de Bailado. Este bailado, passado na Índia, conta-nos a história trágica de amor entre o guerreiro Solor e a dançarina Nikia. Não sabia nada sobre a história antes de ir assistir, mas recebemos um folheto com uma sinopse de cada acto antes de entrarmos na sala (o que me deu imenso jeito digo já).

 

Sei que isto é dizer pouco, mas, na altura, nunca tendo assistido a um bailado (nem ao vivo nem no youtube), fiquei maravilhada. Para muitas pessoas talvez fosse apenas mais um bailado, ou apenas mais uma versão da Bayadère, das 354 que já tinham visto, mas para mim foi a primeira vez.

 

E na verdade, penso que é para pessoas como eu que os artistas se esforçam tanto. Estes bailarinos executam a mesma história, com as mesmas coreografias vezes e vezes em conta, mas haverá sempre uma alminha (criança no tamanho ou no coração) para quem todo aquele mundo vai parecer diferente e mágico e, por isso todas as noites eles têm de dar o seu melhor.

 

Não sei bem explicar o que senti enquanto estava sentada naquela sala abafada a assistir ao meu primeiro bailado, posso apenas dizer que o ballet não é só para alguns: é para todos. Se nunca foram ver um bailado, pois têm medo de não compreender ou não gostar, sigam o meu conselho e comprem um bilhete. Tenho a certeza de que não se vão arrepender.

 

Resultado de imagem para la bayadère cnb

Fonte da imagem

 

PS: No passado dia 18 de Novembro (Sábado) a RTP2 transmitiu uma performance incrível da Bayadère no teatro Mariinsky. Se tiverem gravações automáticas podem ir ver e maravilhar-se!

Sab | 11.11.17

Receita | Granola Caseira

Se tal como eu não conseguem comer papas de aveia, mas, ainda assim, não dispensam cereais ao pequeno-almoço, este é o post para vocês. A minha receita de granola é muito simples e faz-se num instante. Conforme o vosso gosto pessoal podem, obviamente, adaptar a receita.

post granola (1).png

 

O que leva:

  • 400 gr de aveia
  • 1 colher de sopa óleo de côco (ou de azeite)
  • 3 colheres de sopa de xarope de agave (pode ser substituído por geleia de arroz ou mel)
  • 1 colher de chá de canela

 

Preparação:

  • Coloquem a aveia numa taça grande, adicionem os ingredientes líquidos e misturem bem (eu uso as mãos, em vez de colher, acho que é mais prático). 
  • De seguida polvilhem com a canela, coloquem a aveia num tabuleiro e levem ao forno a 150º por 20 minutos.
  • A meio do tempo abram o forno e mexam a aveia para ela ficar homogénea et voilá o vosso pequeno-almoço está pronto!

 

Não esquecer:

A granola deve ser guardada num frasco com fecho hermético para não se estragar.

Pág. 1/2