Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

Neste blog fala-se sobre livros, viagens, ballet e muito mais.

Ter | 26.02.19

OS MEUS DISCURSOS PREFERIDOS DOS ÓSCARES 🏆

Quem me conhece sabe que uma das minhas formas de procrastinação preferidas é ficar a ver discursos motivacionais no youtube como se não houvesse amanhã. Como tal, não é de espantar que eu adore ouvir os discursos dos óscares. Para mim, é sempre o ponto alto da cerimónia. Partilho connvosco três dos meus preferidos do último domingo. 

 

Any little girl who's practicing their speech on the telly, you never know!

 

Lucy Boynton, you're the heart of this film, you are beyond immensely talented and you have captured my heart.

 

 

There's a discipline for passion.

 

 

Quais foram os vossos momentos preferidos da cerimónia?

Sex | 22.02.19

PEQUENAS GRANDES MUDANÇAS

Com o segundo mês do ano a chegar ao fim, decidi partilhar algumas pequenas mudanças que tenho implementado nos últimos tempos (e que me têm feito muito bem). 🍵

Lucía Franco ilustração.jpg

Ilustração de Lucía Franco

 

1. Deixei de usar carteira. Só servia para acumular papelada e já estava a ficar fora de controlo.

2. Encerrei a minha conta do facebook há uns cinco meses. A minha saniedade mental agradece.

3. Comecei a usar um bullet journal e surprise, surprise estou a gostar! 

4. Voltei a visitar a biblioteca com frequência (o que me tem feito ler muito mais)

5. Tenho reservado um tempo para mim todos os dias só para relaxar e ver Friends.

 

Que mudanças implementaram na vossa rotina, ultimamente?

E como vão essas resoluções de ano novo? 

Ter | 19.02.19

#READ THE YEAR | O LIVRO PARA MARÇO

No mês de Março celebramos o dia internacional da mulher. Como tal, o desafio do #readtheyear para o próximo mês é: ler um livro sobre uma mulher de que nunca tenhas ouvido falar. A minha escolha será Educated (Uma Educação) de Tara Westover.

 

fonte da imagem

Sinopse:

Tara Westover cresceu a preparar-se para o Fim dos Tempos, para ver o Sol escurecer e a Lua pingar, como que de sangue. Passava o verão a conservar pêssegos e o inverno a cuidar da rotatividade das provisões de emergência da família, na esperança de que, quando o mundo dos homens falhasse, a sua família continuasse a viver. Não tinha certidão de nascimento e nunca pusera um pé na escola. Não tinha boletim médico, porque o pai não acreditava em médicos nem em hospitais. Não havia quaisquer registos da sua existência.

Uma Educação é a história apaixonante de uma mulher que se reinventa. Mas é também uma história pungente de laços de família e de dor quando esses laços são cortados. Com o engenho dos grandes escritores, Tara Westover dá forma, a partir da sua experiência singular, a uma narrativa que vai ao cerne do que é a educação e do que ela nos pode oferecer: a perspectiva de ver a vida com outros olhos e a vontade de mudarmos.

 

Este livro tem sido muito falado nos últimos meses e, pelas reviews que tenho lido (1, 2, 3) parece-me que será uma óptima leitura. Se estão curiosos em saber mais sobre este desafio podem consultar a lista completa aqui

 

Se também aderirem ao desafio utilizem a tag #readtheyear para eu ver os vossos posts.

Boas leituras! 📚

Seg | 18.02.19

DEIXEI DE PEDIR DESCULPA POR SER EU PRÓPRIA

kalen-emsley-94317-unsplash.jpg

 

O amor-próprio deve ter sempre lugar e isso é algo em que tenho tentado trabalhar nos últimos meses. Neste processo de ter mais auto-estima e confiança deparei-me com o facto de que, à semelhança de muita gente, costumava justificar constantemente os meus comportamentos para pessoas que nem mereciam a minha atenção. Estou a tentar deixar esse hábito e parar de pedir desculpa por ser como sou. Assim, este post serve como um lembrete para nunca me esquecer que deixei de pedir desculpa por...

 

ser vegetariana

olhar para os ingredientes das embalagens com minúcia

gostar de manhãs 

deitar-me cedo

gostar de ficar sozinha de vez em quando

ver filmes antigos românticos

comentar erros em legendas da tv

e ser uma nazi da gramática no geral

entusiasmar-me muito com pessoas de quem gosto

mas não ter paciência para pessoas que não me dizem nada

não beber álcool

e não precisar de álcool para dançar

gostar de praia no inverno

e evitá-la no verão

viver os livros com uma intensidade desmesurada

e querer falar deles como se não houvesse amanhã

ficar deprimida sem razão aparente

precisar de correr e sentir o vento na cara de vez em quando

ser muito próxima à minha família

gostar de contar histórias de infância com grande detalhe

ficar ofendida quando colocam em causa a minha competência

o meu valor

ou aquilo que tenho a certeza estar correcto

chorar

ter uma opinião diferente da maioria

ser fiel aos meus princípios

colocar a minha saúde mental em primeiro lugar

dizer que não

Deixei de pedir desculpa por ser eu própria.

Sex | 15.02.19

PERSUASÃO | JANE AUSTEN

You pierce my soul. I am half agony, half hope...I have loved none but you.”

janeausten1.jpg

 

 

#ReadtheYear Fevereiro: Uma história de amor obsessivo.

 

O livro escolhido para o mês de fevereiro do projecto #ReadtheYear foi o Persuasão da Jane Austen. O mote era ler uma história de amor obsessivo. Eu fiz batota e li uma história de amor, que, não sendo obsessivo é mais de amor não correspondido.

 

No último romance de Jane Austen acompanhamos a vida de Anne Elliot uma jovem de 27 anos que nos lembra um pouco a Cinderela. A sua irmã Elizabeth e o seu pai ignoram por completo a principal razão para a sua infelicidade e usam e abusam da pobre Anne para desabafarem sobre os seus dramas supérfluos.

 

A infelicidade de Anne provém de um acontecimento passado oito anos antes, altura em que esteve prometida ao capitão Frederick Wentworth, mas o noivado foi rompido abruptamente por parte dela. O enredo da história gira, assim, à volta do arrependimento de Anne em relação a este amor perdido.

 

Não sendo a obra mais famosa da autora, Persuasão tem todos os ingredientes que mais aprecio em Jane Austen: romance, ironia e crítica social. É uma leitura lenta ao início, mas que acaba por nos prender e ficamos curiosos por saber como vai terminar.

 

Jane Austen consegue proporcionar-nos momentos de leitura muito divertidos ao mostrar o ridículo que são as distinções de classe da altura, demonstrando, em simultâneo, os julgamentos a que as mulheres estavam sujeitas à época.

 

Gostei muito desta leitura e recomendo a quem é fã da autora. Em breve irei anunciar o livro que escolhi para o desafio do mês de Março, por isso fiquem atentos! Para acompanharem as minhas leituras sigam-me pelo Goodreads.

 

Se também aderirem ao desafio utilizem a tag #readtheyear para eu ver os vossos posts.

Boas leituras! 📚

Ter | 12.02.19

5 DAS MELHORES HISTÓRIAS DE AMOR DE SEMPRE 📚

No espírito do dia dos Namorados inspirei-me neste post da Bárbara para vos recomendar cinco das mais bonitas histórias de amor. São tudo livros que já li e recomendo tanto para os mais como para os menos apaixonados. 

5 das melhores histórias de amor de sempre.png

 

1. Anna Karénina, Lev Tolstói

Para muitos "o" livro. É uma das mais belas histórias de amor alguma vez escritas. Não se deixem intimidar pelo tamanho desta obra. Leiam se gostam de drama, de heroínas complexas e de escrita detalhada e maravilhosa. 

 

2. O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald

E por falar em escrita bonita, como poderia excluir o Fitzgerald? Para quem quer uma leitura curta, mas envolvente esta é uma óptima opção. Reconheço que não é um livro para toda a gente, mas é daqueles que, quando lido na altura certa, fica connosco para a vida.

 

3. One Day, David Nicholls

Para quem quer um romance mais moderno, não posso deixar de recomendar este livro. Acompanhamos a vida de Emma e Dexter, dois colegas de faculdade, ao longo de 20 anos. É daqueles para chorar baba e ranho. Actualmente acho que está esgotado em português, mas podem encontrar em Inglês na Wook.

 

4. O Monte dos Vendavais, Emily Brontë 

Um livro que é um murro no estômago, com personagens tão vívidas e fáceis de odiar. A história eterna de Catherine e Heathcliff já deu filmes e até inspirou músicas pop. Se ainda não leram, de que estão à espera? É mesmo muito bom.

 

5. Memorial do Convento, José Saramago

Um dos melhores romances históricos de sempre com duas das personagens mais emblemáticas da literatura nacional: Baltasar e Blimunda. Nem vale a pena estar aqui a tecer elogios à mestria de Saramago, uma história que só ele poderia escrever. Simplesmente lindo.

Pág. 1/2