Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

Neste blog fala-se sobre livros, viagens, ballet e muito mais.

Qua | 27.01.21

ÚLTIMAS LEITURAS & ALGUMAS REFLEXÕES IV ❄️ 📖

40f416a5467d5d8f89e1250d0a59954a.jpg

La liseuse, Jean-Étienne Liotard 

- Surpreendentemente, este ano não senti a minha habitual aversão a Janeiro. Normalmente detesto este mês e sinto que dura por dois, mas a pandemia veio alterar tudo, até os meus ódios de estimação.

 

-  O meu plano de leituras para 2021 tem sido não ter muitos planos. Ainda assim, estou empenhada em tentar ler mais em Português (o desafio que a Cristina partilhou deixou-me inspirada) e pegar naqueles clássicos que estou a sempre a dizer que vou ler e nunca mais (To Kill a Mockingbird, é um deles).

 

-  O Piranesi de Susanna Clarke chegou-me finalmente às mãos!!! Estou mortinha para o ler. Segunda aquisição do ano foram as Heróides, de Ovídio numa maravilhosa edição de capa dura da Cotovia que combina com a minha Ilíada e as Metamorfoses. (é melhor não falar muito sobre a Cotovia para não chorar). 

 

- Para o desafio de Janeiro do #lerosclássicos2021 li o Cold Comfort Farm de Stella Gibbons e que maravilha de livro este. É  hilariante e foi exactamente o que precisava para começar bem o ano. Ainda assim, fez-me pensar na quantidade de livros incríveis que não são editados em Portugal. Dá vontade de inexperientemente traduzi-los sozinha. 

 

Decidi, do nadacomeçar a ler os Contos Completos dos Irmãos Grimm na sua versão original (1812-15). Ainda estou muito no início, mas devo dizer que, até agora, não acho estas histórias tão assustadoras como mas têm vendido. Também tenho encontrado muitos paralelos com o folclore russo. Estou a adorar, mas tenho o livro em pdf e é gigante, portanto a previsão é acabá-lo algures em 2025. 

 

-  As obras continuam e eu estou prestes a enlouquecer. Desesperada pelo momento em que possa desempacotar os meus livros e voltar a vê-los no seu habitat natural. Até lá, o scribd vai-me salvando.

 

E vocês, o que andam a ler? :)

Ter | 19.01.21

AGORA MAIS DO QUE NUNCA: LIVROS, LIVROS, LIVROS

Não bastava a queda drástica na venda de livros, a morte de editoras, e a falência de livrarias independentes. Não. Houve agora a brilhante ideia de proibir a venda de livros no único local (sem ser online) em que ainda os podíamos encontrar. Sim, estou furiosa.

Eu sei que há pessoas que estão em condições precárias e para as quais a compra de livros não é de todo uma primeira necessidade. Mas quem se mete com os livros, mete-se comigo. São das poucas coisas que trazem alegria em tempos nefastos e tornam conhecimento e cultura acessíveis a todos. 

Qual vai ser a próxima ideia, começar a queimá-los?

cae0f4f3-a5a8-431e-a555-8ece711cc03e.jpg

 

Livrarias online para apoiarem: Snob, Lello, Distopia, Velhotes, Flâneur, Ler por Aí, Tinta nos Nervos, It's a Book

Consultem mais livrarias independentes no site da RELI: https://www.reli.pt/

Qua | 13.01.21

#LEROSCLÁSSICOS2021 | JANEIRO 📚

#lerosclássicos janeiro-2021.png

Sim, já estamos quase a meio do mês, mas não posso deixar de divulgar o maravilhoso projecto da Bárbara que regressa este ano: o desafio Ler os Clássicos. Para Janeiro, o mote é escolher um clássico de humor. Eu já li o meu (Cold Comfort Farm de Stella Gibbons) e adorei! Se tiverem sugestões de clássicos de humor deixem nos comentários (o que é preciso nesta altura, é animar a malta).

 

E vocês, o que andam a ler?

Se também aderirem ao desafio da Bárbara utilizem a tag #lerosclássicos2021 para eu ver os vossos posts.

Boas leituras! 📚

Qua | 06.01.21

OS LIVROS QUE SALVARAM O MEU 2020 📖

(a lista dos favoritos)

Olá e bom ano! Hoje trago um post que já se tornou habitual aqui no blog: a lista anual das minhas leituras preferidas. Escusado será dizer que 2020 foi diferente para todos e isso reflectiu-se também nas leituras. Houve quem lesse muito mais, outros menos. Eu li praticamente o mesmo. Dos 77 livros (parece muito comparado aos 62 de 2019, mas são apenas mais 200 páginas) que me acompanharam em 2020, estes foram os meus favoritos. Vamos à lista!

original.jpg

 

Birds, Art, Life, Death, Kyo Maclear

No início de Fevereiro, num mundo ainda pré-isolamento, ouvi este audiolivro maravilhoso. É um livro de memórias e reflexões sobre uma autora e ilustradora que procura na natureza a resposta para o seu bloqueio criativo e como lidar com a hospitalização do pai. Um pequeno livrinho inspirador, cheio de frases bonitas,

 

Contos Completos, Beatrix Potter

Um livro que me aqueceu o coração durante a quarentena. Adorei reencontrar estas histórias que me lembram a minha infância nesta edição tão cuidada e bonita da PIM. Uma jóia de livro. 

 

A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata, Mary Ann Shaffer

Algures em Abril (ainda confinada portanto), fui à procura de mais livros fofinhos e acabei por escolher este ebook no scribd. Já tinha visto o filme e sabia que, provavelmente, ia gostar do livro, mas não estava à espera que fosse tão bom. Romances epistolares passados em ilhas britânicas que incluem personagens bibliófilas são tãaao a minha praia. 

 

Mulheres Viajantes, Sónia Serrano

Algures em Maio (ou terá sido Abril?) aproveitei uma promoção da Tinta da China para adquirir este livro que já andava curiosa para ler há algum tempo e, surprise surprise, adorei. Pode parecer deprimente ler relatos de viagens num ano em que praticamente não saímos de casa, mas para mim foi muitíssimo inspirador conhecer as histórias destas mulheres. Foi mesmo como viajar, sem sair do lugar.

 

Portuguesas com M Grande, Lúcia Vicente

Uma das maiores alegrias que 2020 me trouxe foi ter conseguido fazer a minha visitinha anual à Feira do Livro de Lisboa. Na feira comprei este livro que estava na minha wishlist há imenso tempo e escusado será dizer que adorei. Ainda que dirigido a um público mais infantil, não é de todo redutor para adultos e as ilustrações são maravilhosas. 

 

O Ano da Morte de Ricardo Reis, José Saramago

Continuando a tradição de ler um Saramago por ano, peguei neste que andava a ganhar pó na estante há que tempos. Como disse, na altura, no Goodreads, pressenti que se tornaria um dos meus favoritos do autor e foi mesmo isso que aconteceu. Demorei um mês a lê-lo, mas isso já é o  meu habitual com Saramago: tenho de ter tempo para digerir e ir marcando as frases bonitas com post-its.

 

Rebecca, Daphne du Maurier

Em Outubro escolhi o Rebecca para o desafio do Ler os Clássicos da Bárbara. A princípio estava mais inclinada para o My Cousin Rachel, porque tinha visto o filme há uns anos e gostado, mas acabei por me ficar pelo Rebecca pela conveniência de ser em audiolivro, em vez de ebook. E que bela surpresa, esta! As personagens são chatinhas, é certo, mas a atmosfera, a escrita, a casa que em si mesma é personagem e o fim compensam tanto. Um verdadeiro page turner que devorei num dia, muito muito bom.

 

Ayoade on Top, Richard Ayoade

Ouvi falar sobre este livro através de um vídeo do Graham Norton Show e a sua premissa bizarra intrigou-me. Em Ayoade on Top, o humorista britânico Richard Ayoade intercala o que é suposto ser uma análise séria à comédia romântica View from the Top, com algumas reflexões sobre a sua infância no Reino Unido. Este não é de forma alguma um livro que toda a gente vá gostar, mas se conhecem Richard Ayoade e apreciam o seu humor, vão por mim, isto é de chorar a rir e o antídoto para qualquer dia mau. 

 

E por aí, que livros vos marcaram em 2020? 😊

Seg | 04.01.21

PRIMEIRA SEGUNDA-FEIRA DO ANO

original.jpg

Começou chuvosa e trouxe notícias menos boas, maaaaas fui dar a minha caminhada matinal, bebi a minha infusão de Inverno preferida, ouvi o meu poema diário (do livro A Poem for Every Day of the Year) e consegui agarrar uma última fatia de bolo de laranja que sobrou de ontem. Mais do que nunca, grata por ter saúde e conseguir trabalhar em casa, embrulhada em mantas e roupa quente. Foi um início de semana produtivo? Não. Já sinto saudades das férias? Com certeza. Ainda assim, nem tudo é mau e, como diz a Annie, amanhã também é dia. 2021, vamos a isso.