Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Stuff

livros, música e desabafos vários.

23.10.23

DO QUE FICA

via @case.kenny Os últimos dias têm sido repletos de mudanças de humor quase tão drásticas como as da meteorologia. No entanto, lembro-me sempre deste espaço e de como a escrita consegue ajudar nem que seja por uns minutos. Tento esvaziar a cabeça e começar de novo. Ainda que custe, ainda que ache que não tenho nada para dizer. Há uma frase que guardo comigo e na (...)
17.10.23

E PELO MEIO

A gente canta as mesmas canções, repete as mesmas piadas parvas, imita os tiques nervosos que já não sabe quando surgiram, veste roupas que parecem uniformes da escola de tão idênticas até descobrir que já vestiu roupas muito desiguais a estas de agora. Corta o cabelo e ele volta a crescer e volta-se a cortar, perde-se e encontra-se, corre-se para apanhar o comboio e descobre-se que já só se vai no seguinte. Tudo isso importa e não importa assim tanto. Hoje chove e acordo feliz.
19.09.23

I HAD A FEELING SO PECULIAR

this pain would not be for evermore

Anos depois tudo se compõe da forma mais bela. A data de pesar passou a data de festa. É um dia que se comemora como um aniversário, um casamento, uma formatura. A eu lá de trás não concebe um futuro, o mundo dela ainda não é tão vasto, as feridas ainda são muito recentes, mas oh o que vais rir, o que vais chorar a rir, o que vais rir até chorar. Vão haver praias, gelados, cabelos na areia. Vão haver roupas quentes quando o vento soprar ao final do dia. Vão haver abraços que (...)
16.01.23

COMEÇOS E FINS

Sempre fui resistente à mudança. A verdade é que o ser humano é um animal de hábitos e deixar algo para começar uma coisa nova pode ser assustador. No entanto, sei que 2023 vai ser um ano em que vou ter de terminar algumas coisas que já não fazem sentido para poder embarcar em novas aventuras. Vai ser um ano de mudanças. É sempre difícil, mas sei que é o que preciso para crescer enquanto pessoa. Coisas boas virão, coisas boas levam tempo a chegar, mas estão por aí, à minha (...)
13.07.22

O BLOCO DE NOTAS AMARELO

via weheartit No livro Carta à minha filha, Maya Angelou conta uma história sobre um bloco de notas amarelo. Num momento de desespero, em que chegou a ter pensamentos suicidas, Angelou procura o conforto de um amigo e  mentor, contando-lhe que está a ficar louca. Ele diz-lhe para ela começar por pegar numa caneta e num bloco de notas amarelo e contar as suas bênçãos. Desde esse dia, Angelou utilizou sempre o mesmo tipo de blocos para escrever. Hoje lembrei-me desta história, (...)