Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Stuff

Neste blog fala-se sobre livros, viagens, ballet e muito mais.

Seg | 04.03.19

A HISTÓRIA SECRETA | DONNA TARTT

I suppose at one time in my life I might have had any number of stories, but now there is no other. This is the only story I will ever be able to tell.”

The Secret History

fonte da imagem

 

Cada vez mais leio com "olhos de escritor", i.e. penso naquilo que o autor conseguiu fazer e que pode ser transporto para a minha escrita. É claro que o enredo também interessa, mas, à semelhança do que tem acontecido com outros livros, ao ler A História Secreta prestei muita atenção à forma. Não adorei este livro, no entanto, houve vários aspectos formais que me agradaram.

 

O que eu mais gostei neste livro:

  • A maneira como a autora consegue inserir referências que nos localizam temporalmente sem nunca revelar datas específicas em que a história se desenrola (ex. aulas de aeróbica, filmes com o Charlie Sheen, chocolates crunchie);
  • O ritmo. Sei que há quem se queixe do número de páginas, mas acho que Donna Tartt conseguiu, neste seu primeiro romance, encontrar o ritmo certo para contar esta história, sem aborrecer o leitor.
  • A descrição de atmosferas e ambientes é envolvente sem parecer forçada e a voz do narrador é reconhecível e coerente ao longo de toda a obra.

 

O que eu menos gostei neste livro:

  • A falta de desenvolvimento da maioria das personagens (incluindo o narrador).
  • Nunca pensei que este livro falasse TANTO sobre consumo de drogas. Se não se sentem confortáveis com este assunto, não aconselho a lerem.
  • Ainda em relação ao último ponto: há uma falta de identificação com a experiência universitária destes jovens. Não o grupo que acompanhamos ao longo de toda a história, mas o conceito de Universidade no geral. Isto é, obviamente 100% pessoal, mas julguei que iria encontrar mais alguns pontos em comum com estes estudantes.
  • Tudo o que há de misterioso neste livro é facilmente "adivinhável" desde o princípio. Não digo que não seja propositado, mas enquanto o narrador tem aqueles momentos de revelação não pude deixar de pensar para mim própria: "sim Richard, era óbvio que isso ia acontecer".
  • E por último, para um livro que acompanha um grupo de jovens que estudam grego antigo...há muito pouco de cultura clássica aqui. Mais uma vez, há quem não se importe com isso, mas pensei, à partida, que seria uma parte fundamental desta história. Porém é quase um mero acessório. Podiam estudar os clássicos, como qualquer outra coisa.

 

Conclusão: A História Secreta foi uma leitura agradável, por vezes intensa, mas na qual a forma supera, a meu ver, o conteúdo. 

7 comentários

Comentar post