Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Stuff

Neste blog fala-se sobre livros, viagens, ballet e muito mais.

Sab | 17.03.18

Dicas para quem faz telefonemas

Se por acaso cresceram com outros seres humanos (aqueles a que chamam de família/amigos) e, eventualmente, têm uma daquelas coisas chamadas empregos, devem já ter reparado que lidar com pessoas é assim um bocadiiiiinho desafiante.

 

Admiro e respeito IMENSO quem trabalha em atendimento ao público (call-centers e caixas de supermercado this is for you), porque 1) têm a paciência que, por vezes, a mim me falta 2) todos nós sabemos o que é lidar com clientes brutos, mal-educados, ou que simplesmente não estão a ter o melhor dia das suas vidas e decidem usar-nos como saco de pancada (not cool, not cool at all). 

 

 

Se o vosso trabalho implica lidar com outros seres humanos desconhecidos através de linhas telefónicas eis algumas dicas de uma total hiper-mega-magnífica especialista (não em lidar com pessoas, mas sim em fazer listas parvas ok?).

 

1) Confirmem sempre se o número para que estão a ligar está correcto. Não há nada mais constrangedor do que querer falar com o Ministério da Educação e atender-vos a Dona Amélia da pastelaria. 

 

2) Antes de ligarem para qualquer sítio e, principalmente se tencionam falar com uma pessoa em específico, verifiquem se os contactos estão actualizados. As sedes de empresas mudam e nem toda a gente fica no mesmo emprego para sempre. Pesquisem e informem-se.

 

3) Preparem-se para lidar com aquilo que há de mais português neste mundo: títulos para tudo e todos. Na dúvida toda a gente é doutor; ou engenheiro; ou arquitecto. Se estiverem a ligar para um sítio mais low profile Sr. e Srª é, normalmente, seguro. A saber: uma miúda de 15 anos é uma senhora e uma velhota de 94, também é uma senhora. O "menina" é bonito, mas não profissional.

 

4) Vão ouvir muita música (Eine kleine Nachtmusik do Mozart e a Primavera do Vivaldi são clássicos que não saem de moda), mas do outro lado não queremos que oiçam nada de desagradável, ou despropositado. Por isso, muito cuidadinho quando estão em espera e colocam o telefone em alta-voz. Não vá a pessoa atender e estão vocês alegremente a contar ao colega sobre o pé de atleta que apanharam na piscina do ginásio.

 

5) Sejam simpáticos. Parece óbvio, mas nem sempre é fácil. Ainda que pareça que ninguém vos quer ajudar há sempre uma luz ao fundo do túnel (e um segurança com quem desabafar).

4 comentários

Comentar post