Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Stuff

Neste blog fala-se sobre livros, viagens, ballet e muito mais.

Sex | 15.03.19

OS LIVROS SÃO A MINHA 'FURRY WALL'

Imagem relacionada

 

Quando eu digo que gosto de livros, a maioria das pessoas subestima-me. 

 

Eu não gosto só de ler, gosto de livros, os objectos em si. Só entrar num sítio com livros deixa-me feliz. Quando estou stressada, por vezes basta olhar para a minha estante e tocar nas lombadas dos livros para me acalmar. E sim, eu julgo as pessoas pelos livros que têm em casa. Se não vir nenhum fico triste.

 

Se algum dia, alguém se lembrar de vasculhar o meu histórico vai encontrar muuuuuuuitas listas com recomendações de livros. Livros escritos por mulheres. Livros em francês. Clássicos a ler antes de morrer. Livros infantis. Livros em pré-lançamento. 

 

Eu vejo vídeos sobre livros, eu pesquiso livros gratuitos online, eu vejo o que os meus amigos andam a ler no Goodreads, eu leio opiniões sobre livros e fico feliz quando mencionam um que já li e de que gostei. A minha forma de procrastinação preferida consiste em adicionar livros à minha wishlist do Book Depository como se o mundo fosse acabar amanhã. 

 

Ainda assim, há dias em que me esqueço do poder dos livros. Do efeito que têm em mim. 

 

Há um filme de comédia que me marcou muito (apesar de ser bastante estúpido) que se chama É Muito Rock, Meu. Para quem não conhece, há uma parte do filme em que a personagem de Jonah Hill entra em pânico e Russell Brand diz-lhe para ele afagar a parede de pêlo que se encontra ao seu lado. A dita parede tem realmente o poder de o acalmar e, de repente, tudo parece mais simples.

 

Ultimamente, tenho andado mais nervosa do que o habitual e começo a ter crises de insegurança por coisas de nada. Nestas fases chatas, os livros costumam ser sempre os meus melhores amigos. Por isso, depois de ler um livro sobre estudantes universitários assassinos e a história de vida de uma rapariga que sofreu abusos terríveis durante a infância (que, convenhamos, são dois temas bastante pesados) decidi reler o Harry Potter.

 

E bem, fiquei espantada com o quão feliz aquela história me deixa. Dei por mim a rir em voz alta no autocarro e a ler capítulo atrás de capítulo sem pensar em mais nada. Incrível como me tinha esquecido de que, por vezes, tudo o que precisamos é do livro certo para nos fazer ver que as coisas não são tão más como parecem.

 

Por muito cliché que seja reconhecê-lo, a verdade é que os livros fazem mesmo com que a vida seja melhor, mais fácil, mais feliz, mais risonha. Os livros são, sem dúvida alguma, a minha furry wall

6 comentários

Comentar post